Chibamba – Lenda mineira que tem for finalidade assustar as crianças teimosas

africano2

Chibamba

O Chibamba é uma lenda de origem africana, porém aqui no Brasil o provável local de origem do Chibamba seja no sul de Minas Gerais, esse mito deu origem a mais dois: transformando-se também em Cuca, ou Negro Velho. Essa lenda é parecida com a do Bicho Papão, porém é mineira, e tem a finalidade de assustar as crianças teimosas.

Esse mito fala sobre um fantasma que assombra e assusta as crianças que choram, que são teimosas e malcriadas. Sabe aquelas birrinhas manhosas que muitas crianças fazem? Eu quero! Eu quero! Eu quero por que quero!!! É nessa hora que o monstrengo aparece. Na narrativa do mito, o Chibamba chega vestido de folhas de bananeira, dançando, rodopiando e soltando roncos de porco. Dança de forma compassada enquanto caminha, dá uma paradinha e após um giro.

A aparência do Chibamba é sem dúvida muito diferente dos demais bichos, pois tem cara de porco, nariz de porco, ronca como porco, mas não é porco. O fato de “roncar como um porco” é uma adaptação brasileira.

Foram os nativos africanos que trouxeram a lenda do Chibamba para o Brasil mineiro, estes se  vestiam com folhas de bananeira e usavam máscaras assustadoras em vários dos seus rituais: pesca, caça, colheita, rituais religiosos e inclusive em cerimônias de casamentos. Os figurantes simbolizavam a reencarnação dos seus antepassados, que ora os visitavam para abençoar suas festas. Os africanos se apresentavam em seus terreiros festivos, onde as amas pretas de leite cuidavam dos seus bebês e também das crianças brancas, e assim deu-se a origem do Chibamba como criatura assustadora.

Era uma oportunidade e tanto para mostrar às crianças, aqueles figurantes caracterizados de monstros cobertos de folhas e mascarados, como sendo uma entidade que viria atormentar as que não quisessem dormir. Assim como a lenda do Chibamba existem outras lendas e mitos do folclore brasileiros, a(o)s quais tem a finalidade de transmitir ensinamentos,  entre os indivíduos de uma mesma sociedade, grupo, etnia… Cada a sociedade ou grupo mantém a preservação destas narrativas, e como são passadas de uma pessoa para outra, há modificações nas narrativas, porém o essencial da história permanece. E algumas lendas podem ser inclusive adaptadas à realidade local, assim como fizeram os mineiros ao transformar um acontecimento africano em lenda brasileira.

Vocês podem visitar mais lendas ou mitos no site www.lendas-gauchas.radar-rs.com.br. Desejamos a todo(a)s boas leituras e esclarecimentos.

Lendas de SC - Lendas gauchas - Lendas do Brasil - Antropologia - Frutas - Imagens para Face - Concursos - Cenaless - Aquarismo - Ivoti - Abelhas - Vagas de emprego - Tirar manchas - Google