Lenda de Santa Bárbara

Lenda de Santa Barbara

Lenda de Santa Bárbara

Segundo a lenda de Santa Bárbara, ela era uma jovem muito bela, filha de Dióscoro, homem rico e poderoso, adorador dos deuses grego-romanos. Este, desejando destinar sua filha a um bom casamento, que também constituísse para ele uma vantajosa aliança, e por ter de partir em viagem, encerrou-a numa torre, mandando construir ali um balneário com duas janelas.

No seu isolamento, Bárbara terá entrado em profunda meditação, acabando por se converter à fé cristã, então seriamente proibida no país e já motivadora de perseguições. Na ausência do seu pai, Bárbara mandou abrir no seu balneário uma terceira janela para que assim, segundo ela, recebesse uma luz que representasse a Santíssima Trindade. Também iluminada pela Santíssima Trindade teria desenhado uma cruz com o dedo, no mármore da balneário, que ali ficou profundamente gravada e que, conforme vários relatos, teve efeitos milagrosos para os que, mais tarde, a tocaram. Além disso mandou destruir os ídolos pagãos que seu pai ali tinha.

Quando Dióscoro regressou da viagem, interrogou a filha, que explicou o que tinha feito e informou seu pai que recusava qualquer casamento, pois já se tinha destinado a Jesus Cristo. Aquele, furioso, desembainhou a espada para a castigar, o que fez com que Bárbara fugisse – suas preces criaram uma abertura na muralha – e se ocultasse no interior de um rochedo que, segundo a lenda, abriu-se para escondê-la.

Numa versão da Idade Média, que situa a história lendária de Bárbara perto de Atenas, a jovem teria sido protegida por mineiros de Láurio que a esconderam na sua mina.

Denunciada por um pastor, Bárbara teria sido entregue ao pai, que a levou a Marciano, máxima autoridade romana da cidade, acusando-a de professar o Cristianismo. Diz a lenda que, como punição, o pastor foi transformado em estátua de mármore e seu rebanho em gafanhotos.

Marciano quis perdoá-la, se Bárbara aceitasse os deuses de Roma, mas a jovem terminantemente recusou. Por várias vezes açoitada cruelmente, Bárbara teria pedido sempre o auxílio a Deus, tendo Jesus aparecido assegurando-lhe que estaria sempre a seu lado, de modo que as crueldades dos tiranos nada pudessem contra ela. Nesse momento, Bárbara teria sido curada e teria agradecido a Jesus, assegurando-lhe que o seguiria para sempre.

Não conseguindo demovê-la da sua fé, Marciano, furioso, a teria mandado decapitar. Dióscoro, seu pai, teria solicitado ser ele mesmo o executor. Bárbara teria sido levada ao alto de um monte onde se ajoelhou e pediu a Jesus que, na hora da sua iminente morte, a absolvesse de todos os seus pecados. Levada pela sua bondade, teria pedido também que a mesma graça fosse concedida a todos os que, em situações de morte iminente, implorassem a extrema unção por seu intermédio.

Depois de receber a garantia da satisfação destes pedidos, Bárbara teria sido decapitada pelo pai, em um dia 4 de dezembro. Continua a lenda que o céu escureceu, tornou-se tempestuoso e que, quando Dióscoro regressava do monte, um raio o fulminou e reduziu a cinzas. E assim, enquanto Bárbara terá subido ao Céu levada por anjos, Dióscoro terá descido ao Inferno para ser atormentado para sempre pelos demônios.

Lendas de SC - Lendas gauchas - Lendas do Brasil - Antropologia - Frutas - Imagens para Face - Concursos - Cenaless - Aquarismo - Ivoti - Abelhas - Vagas de emprego - Tirar manchas - Google